O Jornal das Palavras - Fundado em 10/10/2017.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Meu Diário
11/02/2018 00h00
CARTA NO TEMPO: Viajando na desordem

 


Por Ricardo Oliveira - oliveirapoeta.oliveira@gmail.com


 

CARTAS NO TEMPO: Viajando na desordem


 
   

 

Reconheço-te em minha desordem

 

Reconheço-te em minha desordem, pois é nela que acontece de meus dias serem mais intensos e sou libertado dos meus MEDOS. Embora não possa trocar palavras e olhares diretamente, a poesia me ajuda a expressar todas as necessidades dos quais só ficam na mente e no mais PROFUNDO DO INTÍMO na proporção da SAUDADE. Sou de imediato um poeta CONFESSO e que nem sempre se vê na organização da vida. Acredito ser o CAOS a melhor situação para se confrontar CONSIGO e tentar, de uma maneira, COMPREENDER as razões de estar vivendo um turbilhão de sentimentos a nascer como que uma flor vai a sua beleza florescendo na primavera.

 

A desordem

Somente na desordem das coisas naturais

É que encontro um pouco de arrumação.

Tudo na vida tem um sentido,

E as respostas são apenas dúvidas

Não respondidas de imediato,

E por sorte, elas deixam mais vestígios,

Do que algo tão conclusivo e definitivo.

Tentem definir os PRÓPRIOS SONHOS?

Ou a EXISTÊNCIA da humanidade?

Ninguém tem os MISTÉRIOS por excelência

Compreendida em sua totalidade,

Assim, busco na bagunça, não gostando muito,

Buscar os sentidos de toda a POESIA.

Antes me questionava sobre ser POETA,

E há anos não obtive sequer um ponto de referencia,

Contudo, hoje, não sou assombrado por esta questão,

E sim, me transformo em um ser IMPERFEITO,

Cuja raiz está em conexão com uma SACRALIDADE.

Oh, tempo dos tempos e dos espaços!

Caracterizas meu universo com as estrelas

A brilharem num mundo desconfigurado.

Aguentei demais as ilusões,

E tudo passou e teve fim.

Vivo minha vida e me esqueço

Das outras que já tive...

Para dá abertura a novas situações,

Propostas e dimensões de um ATO DE AMOR.

Então, não me sinto tão dividido.

 

Vivendo na desordem

Tudo que é vivido na DESORDEM nos coloca na reta da disciplina e nada é por ACASO. Os PROPOSITOS para nós são sempre bons FLUÍDOS quando nos permitimos que assim seja. UM PENSAMENTO bom atrai outro melhor ainda, e por mais difíceis estejamos na lida de certos PROBLEMAS a serem enfrentados, o crescimento é o TESOURO ESCONDIDO no fim de um longo arco Iris. Às vezes precisamos nos deixar sermos modelados por tantos acontecimentos, dos quais são complexos em nossas vidas mundanas para nos tornarmos ESPIRITUALMENTE seres mais generosos. O poeta diz só encontrar a duvida ao invés de uma resposta final.

 

“Conviver com a desordem é entrar nos mistérios da vida para dá sentido a sua verdadeira essência”.

Ricardo Oliveira


Coluna escrita as Terças e Domingos

www.cartasnotempo.blogspot.com


Publicado por Diário Recôndito e Poesia em 11/02/2018 às 00h00
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Site do Escritor criado por Recanto das Letras