O Jornal das Palavras - Fundado em 10/10/2017.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Meu Diário
19/02/2018 09h54
ROSEANI FAVERO: Gerações que se complementam


Rosiane Favero - rosifavero@live.com


Gerações que se complementam


 
Desde sempre, as gerações foram educadas a não condenar um método, sistema. Embora muitos de nós, já tenha reagido de modo a mudar esse conceito, vou elucidar apenas para que entendamos melhor. Na minha geração, o que aprendi foi “apenas faça, pense no seu emprego. ” E ponto.  Era frustrante, mas, não reagíamos. Hoje, não tem que ser assim. No ambiente de trabalho por exemplo, se pronunciar é bom e positivo. Até uma crítica é benéfica! Pense nisso. Se você não é criticado por algum motivo, é porque estão ignorando você. Ou seja, você não existe. O outro pensa “não vale a pena conversar, essa pessoa não me questiona, não me inspira! ” E sabe por quê? O que se quer hoje, são lideranças. Sim! Ter iniciativa, expor uma ideia mesmo que contrária, enfim; falar, comunicar! Não ter medo, ir em frente e dizer a que veio. Deste modo, mostrará que existe uma vontade, uma força dentro de você e o “mundo” saberá o que você quer dele. Essa geração entende muito bem isso. Não há tempo, para perder tempo!


Para a geração passada, enquanto pais, liderança no ambiente de trabalho, comunidade, inclusive nas escolas, cabe delinear e ajudar na construção de um pensamento. E veja só, essa mesma geração (a passada), tem uma dificuldade enorme de entender a rapidez com que a geração de agora, lida com tudo ao mesmo tempo, principalmente na fase escolar. Ouvem, falam, escrevem, pesquisam, interagem com tablets e smartphones, enfim; tudo ao mesmo tempo. E nos perguntamos até com uma certa angústia, se realmente estão conseguindo aprender e desenvolver algo. Mas, não estaria sendo um exagero da nossa parte, pensar assim? Afinal, é só uma geração vivendo o seu tempo, se desafiando a todo momento, a aprender e conviver com o que lhes é apresentado. E assim, sucessivamente, uma geração ensinará e acrescentará algo, a outra. Por esse motivo, atribuir a geração de agora, a responsabilidade pelo que é ruim, assim como o futuro ou fracasso de algo, a meu ver não está em conformidade. Vale uma reflexão. A nossa contribuição enquanto geração passada, é no sentido de moldar o senso crítico desta, no que tange a construir algo que de fato movimente a sociedade na direção de uma evolução cultural e histórica. Que obviamente, não é trabalho e dever de uma geração apenas; e sim, de todas as gerações.


“Uma geração tem o dever de contribuir para que a próxima, seja mais próspera, capaz e feliz. ”


(Rosiane Favero)


Coluna escrita as Segundas e Quartas.


Publicado por Diário Recôndito e Poesia em 19/02/2018 às 09h54
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Site do Escritor criado por Recanto das Letras