O Jornal das Palavras - Fundado em 10/10/2017.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Meu Diário
26/02/2018 17h18
ROSEANI FAVERO: Ser politicamente correto ou ser livre?


Rosiane Favero - rosifavero@live.com


Ser politicamente correto ou ser livre?


​​​​
Assunto que vem sendo debatido por vários pensadores, filósofos, e pela própria sociedade, o “politicamente correto é um título para classificar algo ou alguém que segue normas e leis estabelecidas por uma instituição oficial. É tido como politicamente correto, aquele que obedece aos padrões da ética e da moral, convencionais em determinadas sociedades. ” Cuidado aí! O que temos visto, é que na vida social ou no trabalho, não podemos nos manifestar mais. Porque com isso, podemos estar ofendendo alguém ou então, indo contra algo. O que a meu ver é um grande equívoco. O politicamente correto acaba destruindo as relações no âmbito social. Contribuindo ainda, para acabar com o debate ou empobrecê-lo. 

O que precisamos fazer, obviamente, é lembrar dos referenciais de respeito as pessoas, e o cuidado com algumas manifestações. Isso sim! No mais, é nosso dever expressar e comunicar. Para elucidar melhor, posso citar como exemplo, aqueles (homens) que defendem a Lei Maria da Penha, e numa reunião de trabalho, ao serem contrariados por uma colega (mulher), passam a tratá-la com ironias e até grosserias. Percebe? A questão não é a lei, mas sim, as boas relações e a construção de um debate saudável entre todos.

O politicamente correto, acaba se transformando num desserviço. Porque cria rótulos, inibe, tolhe o pensamento e a capacidade de entendimento e discernimento das pessoas no que tange as suas opiniões, lhes tirando a espontaneidade e liberdade. Devemos tomar cuidado, ter bom senso e respeito sempre, mas, ter em mente o nosso próprio pensamento, posicionamento, e opinião acerca de qualquer assunto. Assim, haverá o amadurecimento, crescimento e desenvolvimento natural da nossa sociedade, de forma equilibrada, sem hipocrisias. Caso contrário, estaremos indo no lado oposto da Democracia. É mais fácil dizer que somos “politicamente corretos” do que reconhecer que estamos sendo omissos. Para refletir. O mundo precisa sim, de respeito, de amor, de compreensão, de paz, de uma direção, enfim; mas não, baseados nesta que eu chamaria de doutrina que desvirtua e confunde. Estejamos alerta.

“Precisamos aprender a defender o que é básico, justo, e legítimo, não por uma imposição, mas sim, pelo entendimento de que isso é viver e conviver bem, em sociedade. E parar com tanto blá, blá, blá... “
 

(Rosiane Favero)


​​​​​​

Coluna escrita as Segundas e Quartas

*Política: Segunda-Feira; Moda: Quarta-Feira.


Publicado por Diário Recôndito e Poesia em 26/02/2018 às 17h18
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Site do Escritor criado por Recanto das Letras