CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Diàrio Recôndito e Poesia
O Jornal das Palavras - Fundado em 10/10/2017.
Meu Diário
16/03/2018 07h38
VIAJANDO NA POESIA – Vento Sul


Valmir Vilmar de Sousa - vevesousa1958@gmail.com


VENTO SUL


 

Vento sul que bate

Sem nó, sem dó

Levanta poeira por onde passa

Traz um frio gelado

De carangar

Os desvalidos de cobertor

Os moradores de rua

A criança abandonada

Vento sul açoriano

Tal qual o minuano

Nos deixa assombrosos

Melancólicos

Enclausurados

Diante de uma chuva fina

Faz assobiar entre telhados

De zinco e cerâmica

Zunindo aos ouvidos

De quem caminha

Sobre as calçadas

Das ruas da minha cidade

As placas a balançar

As luminárias a se apagar

E o vento a levar

Velhas lembranças

Novas esperanças

De um novo porvir


Coluna escrita as Sextas-feiras.


Publicado por Diário Recôndito e Poesia em 16/03/2018 às 07h38
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.