CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Diàrio Recôndito e Poesia
O Jornal das Palavras - Fundado em 10/10/2017.
Meu Diário
18/02/2018 00h00
CARTAS NO TEMPO - O Descrever


E-mail: oliveirapoeta.oliveira@gmail.com


 

O Descrever


 

DO AMANHECER...

Do amanhecer tiro a alegria de poder escrever em sua FILOSOFIA! O mundo sem POESIA é um pequeno lago, só que destruído pela POLUIÇÃO de quem não tem nenhum sentimento vivo pela a arte de bem amar os versos e suas palavras. É como se o amor perdesse a mística, e tudo perde o significado. Ainda tenho o desejo da luz!

 

A ILUMINAÇÃO

Essa luz me indica a iluminação que posso receber em meio a INSPIRAÇÃO de um tempo ilimitado. Ser um poeta apaixonado pelos poemas me faz ser um homem feliz, pois minha sacralidade acaba sendo o ponto chave da espiritualidade de que possuo. Neste momento, o horário chega a meia-noite, entretanto, o relógio vai voltar até as onze.

 

LÁBIOS SERENOS DA IMAGINAÇÃO

E ao retornar o seu ponteiro, vejo a captura da percepção poética, invocar os sonhos, enquanto o sono profundo vem tornado o fim de um sábado aproveitoso, em um belo momento doce dos lábios serenos da IMAGINAÇÃO. E por mais que se tenha vivenciado algumas coisas o dia inteiro, ainda falta o DESCREVER, antes do apagar das luzes. 

 

"Que possamos descrever nossa vida em sua pelnitude"


Coluna escrita as Terças e Domingos.

www.cartasnotempo.blogspot.com


Publicado por Diário Recôndito e Poesia em 18/02/2018 às 00h00
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
16/02/2018 00h00
VIAJANDO NA POESIA – Andanças

 


Valmir Vilmar de Sousa - vevesousa1958@gmail.com


 

ANDANÇAS


 

CAMINHANDO SOBRE OS PRADOS, OBSERVEI A BELEZA DA VIDA.

O CANTAR DOS PASSAROS, A LUA A ESPREITAR O MEU ANDAR.

AS NUVENS A CARREGAR AS GOTAS DA CHUVA QUE ADIANTE IRA CAIR NOS OCEANOS.

AS FLORES A COLORIR MEU CAMINHAR, OS AROMAS A SE ESPALHAR ENTRE AS MATAS VERDEJANTES.

COMO É BELA A NATUREZA QUE NOS ILUMINA, NOS PURIFICA E NOS FORTIFICA.

CERCA DE HORTÊNSIAS A ME GUIAR ENTRE PLATÔS E BOSQUES PURIFICANDO NOSSA ALMA DE FORTES EMOÇÕES E VIBRAÇÕES.

RELVA MOLHADA, MACIA DE ANDAR. ENERGIA CONTAGIANTE, EDIFICANTE.

LEVE-ME À EXAUSTÃO DE UMA COMUNHÃO COM ESTE SER SUPREMO QUE HABITA EM MIM.


Coluna escrita as Sextas-feiras.


Publicado por Diário Recôndito e Poesia em 16/02/2018 às 00h00
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
14/02/2018 09h13
ROSIANE FAVERO: Alegria, cores e criatividade...sempre!


Rosiane Favero - rosifavero@live.com


 

Alegria, cores, e criatividade...sempre!

 

O carnaval já ficou para trás, mas, farei uma breve menção. Festa anual, que consta no nosso calendário como um evento popular, também inspira a criatividade no que tange a desenvolver um traje para “brincar”, fazendo aflorar as fantasias de cada um.

Dias de abusar da imaginação e “brilhar! ” Usando criações com as texturas, cores, brilhos, adereços, de modo a levar mais glamour, alegria, charme, ousadia, e “luz” por onde se passa, inspirando outras pessoas. Momento oportuno, para fantasiar-se com aquele personagem oculto que está dentro de cada um. Aproveitar!

Explorar o lado mais colorido, fantasioso, ousado, excêntrico! Celebrando a vida com muita alegria, sorrisos e risos, ao lado dos amigos e familiares. Obviamente com o mesmo respeito, bom-senso, paz, equilíbrio, responsabilidade e amor, habituais. Lembrando que são alguns dias apenas, e logo após, a rotina continua. Vida que segue!

Isto dito, os personagens e as máscaras de carnaval, já não fazem parte. No entanto, interessante é manter a mesma energia e criatividade o ano inteiro, sendo inclusive, fonte de inspiração para outras pessoas. Desta forma, tenhamos em mente que esse espírito deve continuar, sim! Particularmente, respeito e valorizo as nossas festas populares. Desde que, os limites entre a brincadeira, diversão, e os exageros que eventualmente possam ocorrer, sejam observados. Caso contrário, esse evento popular deixará de ser festivo, perderá o verdadeiro sentido, tornando-se um grande equívoco. Não é o que gostaríamos de ver. Até a próximo!

 

“As máscaras...deixe-as apenas para o carnaval. ”


Coluna escrita as Segundas e Quartas

*Política: Segunda-Feira; Moda: Quarta-Feira.


Publicado por Diário Recôndito e Poesia em 14/02/2018 às 09h13
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
13/02/2018 00h00
CARTA NO TEMPO: Andorinha poética


E-mail: oliveirapoeta.oliveira@gmail.com


Andorinha poética


 

CORDAS VOCAIS

Sinto-me atraído por tuas encantadoras CORDAS VOCAIS! O timbre com que a voz ecoa dentro de mim, é a razão para FORMAR na escrita os teus doces traços eloquentes. Quem sois? Sei bem com quem se pareces. E muito mais é o teu semblante deslumbrante por excelência.

E QUEM REALMENTE ÉS?

E quem realmente és? E para minha surpresa, te pareces com a ANDORINHA a voar de maneira livre e sem medo algum de descobrir as coisas novas da vida. Sim, vens a ser a tal POESIA, de tantos NOMES, de tantas BELEZAS, e com um jeito único de ser.

TUA RESPIRAÇÃO

Encosto-me em teu colo, e me vejo em teus braços, sempre que eu tento imaginar tua RESPIRAÇÃO em meio a NATUREZA. E o MAR me lança em suas ÁGUAS, manifestando na LUA o brilho de teus OLHOS em minha própria vontade de te ter uma vez mais.

RAIZES DO AMOR

Construo na mente os momentos em que entrastes na minha LOUCURA HUMANA, e se apropriastes dos TEMPOS vindouros. Este ano fui até a cidade de ANGELINA-SC e vi as raízes do AMOR. Uma concepção de quem nunca vai poder explicar tudo sobre este ato.

UM SEGREDO

Um SEGREDO revelado a respeito de como posso me colocar em teus passos sem ansiar pela DESCOBERTA das estrelas no céu. Tornar as coisas mais agradáveis, no qual possibilite correr o risco te amar nobre POEMA, pelos SONHOS mostrados por ti.

LÁGRIMAS DE PAZ

E assim, em DEVANEIOS, encontrar a FELICIDADE numa LÁGRIMA DE PAZ, ao invés de estar por incompleto nas madrugadas angustiantes de meus mistérios. Ao menos posso fechar minhas pálpebras e reconhecer tuas asas batendo, enquanto me deixo adormecer.


Coluna escrita as Terças e Domingos

www.cartasnotempo.blogspot.com

 

 


Publicado por Diário Recôndito e Poesia em 13/02/2018 às 00h00
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
11/02/2018 00h00
CARTA NO TEMPO: Viajando na desordem

 


Por Ricardo Oliveira - oliveirapoeta.oliveira@gmail.com


 

CARTAS NO TEMPO: Viajando na desordem


 
   

 

Reconheço-te em minha desordem

 

Reconheço-te em minha desordem, pois é nela que acontece de meus dias serem mais intensos e sou libertado dos meus MEDOS. Embora não possa trocar palavras e olhares diretamente, a poesia me ajuda a expressar todas as necessidades dos quais só ficam na mente e no mais PROFUNDO DO INTÍMO na proporção da SAUDADE. Sou de imediato um poeta CONFESSO e que nem sempre se vê na organização da vida. Acredito ser o CAOS a melhor situação para se confrontar CONSIGO e tentar, de uma maneira, COMPREENDER as razões de estar vivendo um turbilhão de sentimentos a nascer como que uma flor vai a sua beleza florescendo na primavera.

 

A desordem

Somente na desordem das coisas naturais

É que encontro um pouco de arrumação.

Tudo na vida tem um sentido,

E as respostas são apenas dúvidas

Não respondidas de imediato,

E por sorte, elas deixam mais vestígios,

Do que algo tão conclusivo e definitivo.

Tentem definir os PRÓPRIOS SONHOS?

Ou a EXISTÊNCIA da humanidade?

Ninguém tem os MISTÉRIOS por excelência

Compreendida em sua totalidade,

Assim, busco na bagunça, não gostando muito,

Buscar os sentidos de toda a POESIA.

Antes me questionava sobre ser POETA,

E há anos não obtive sequer um ponto de referencia,

Contudo, hoje, não sou assombrado por esta questão,

E sim, me transformo em um ser IMPERFEITO,

Cuja raiz está em conexão com uma SACRALIDADE.

Oh, tempo dos tempos e dos espaços!

Caracterizas meu universo com as estrelas

A brilharem num mundo desconfigurado.

Aguentei demais as ilusões,

E tudo passou e teve fim.

Vivo minha vida e me esqueço

Das outras que já tive...

Para dá abertura a novas situações,

Propostas e dimensões de um ATO DE AMOR.

Então, não me sinto tão dividido.

 

Vivendo na desordem

Tudo que é vivido na DESORDEM nos coloca na reta da disciplina e nada é por ACASO. Os PROPOSITOS para nós são sempre bons FLUÍDOS quando nos permitimos que assim seja. UM PENSAMENTO bom atrai outro melhor ainda, e por mais difíceis estejamos na lida de certos PROBLEMAS a serem enfrentados, o crescimento é o TESOURO ESCONDIDO no fim de um longo arco Iris. Às vezes precisamos nos deixar sermos modelados por tantos acontecimentos, dos quais são complexos em nossas vidas mundanas para nos tornarmos ESPIRITUALMENTE seres mais generosos. O poeta diz só encontrar a duvida ao invés de uma resposta final.

 

“Conviver com a desordem é entrar nos mistérios da vida para dá sentido a sua verdadeira essência”.

Ricardo Oliveira


Coluna escrita as Terças e Domingos

www.cartasnotempo.blogspot.com


Publicado por Diário Recôndito e Poesia em 11/02/2018 às 00h00
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 2 de 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 [«anterior] [próxima»]