CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Diàrio Recôndito e Poesia
O Jornal das Palavras - Fundado em 10/10/2017.
Meu Diário
15/01/2018 08h51
CABEÇA PENSANTE - É preciso avançar!

 


Rosiane Favero - rosifavero@live.com


 

É preciso avançar!

Um processo de mudança bem-sucedido não ocorre naturalmente. É preciso vontade, comprometimento, desprendimento, organização. Como também, do resultado de ações conjuntas, com o propósito de inspirar as pessoas para que mudanças possam ser colocadas em prática, e como consequência alcançar um nível de excelência e qualidade. Quando se fala de assuntos que passam pela área da política, talvez você já tenha percebido que uma grande parte das opiniões, é a de que o ato político é uma manifestação genuinamente institucional. Colocado de outra forma, acredita-se que o ato político só pode acontecer dentro das mediações das câmaras de vereadores, deputados, senadores; e que apenas os políticos eleitos podem atuar politicamente. Ocorre que, a política está muito mais presente na nossa vida diária, do que se imagina. Assim sendo, o ato político não está limitado à instituição apenas. Você conseguiria descrever o que é um ato político? Bem, antes de mais nada eu lhe digo que, qualquer um pode praticá-lo.  Em outras palavras, qualquer tipo de ação que busque intermediar um conflito ou buscar o poder em um determinado meio (de forma não agressiva), pode ser considerada como ação política. Viu só? Isto dito, vale dizer que a busca pelo poder, normalmente, embasa o ato político. Uma vez que, o embates no contexto daa política costumam estar relacionados à disputa pelo poder de ação em nome de uma vontade de indivíduos e grupos distintos. Assim, nem sempre as ações ou políticas adotadas pelas instituições de um Estado, como por exemplo, os partidos políticos ou os demais organismos legislativos, terão como propósito, favorecer todas as partes da sociedade de forma igualitária. Na verdade, essa seria uma tarefa impossível diante das inúmeras diferenças de interesses entre os vários grupos que compõem o cenário político. Tendo em vista esses diferentes grupos, é primordial enfatizar que os conflitos de interesses podem manifestar-se de forma distinta dos habituais, instituídas pelo Estado. Ou seja, em forma de grupos organizados que buscam ver representados seus interesses no meio institucional.  Neste contexto, uma vez que, temos grupos que nos representam, poderíamos nos perguntar sobre o motivo afinal, de tanta morosidade ao levar adiante as resoluções que nós precisamos e que são tão urgentes para o nosso país! Reformas e ajustes ainda não aconteceram, e estamos nessa dependência. Um país mais forte, que possa se desenvolver de forma a gerar resultados mais positivos e consistentes em termos de crescimento e desenvolvimento, é o que queremos. Isto dito, as reformas e ajustes são essenciais.

 

 

Necessitamos de mais serviços, mais vontade política, e menos disputa pelo poder. E para que isso aconteça, temos que ter políticas mais claras e eficientes por parte de indivíduos ou grupos. Esperança sim, mas, tendo em mente a nossa parte que é também, a de fiscalizar e eleger bem, pensando no todo. Avança Brasil!


Coluna escrita nas Segundas e Quartas


Publicado por Diário Recôndito e Poesia em 15/01/2018 às 08h51
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
13/01/2018 00h00
PALAVRAS & SENTIMENTOS: Um novo ano, um novo recomeço

 


Eloah Westphalen Naschenweng - eloahwn@hotmail.com


 

Deixamo-nos levar pelo otimismo reinante que paira na alma esperançosa de todos que apostam no recomeço.

 

É o sentimento balsâmico que deslumbra, alivia a alma, empurra as tristezas, amarra e alimenta os sonhos.

 

É como se a marca indelével do 1º dia do ano viesse carregada de magia e com a certeza envolvente que, inesperadamente, no espaço de um instante, tudo se transformasse.

 

É a contingência que nos faz pegar carona neste tempo que vem até nós generosamente, com a promessa de novas oportunidades, um novo ano, novos dias, novas auroras, e a sensação maravilhosa do reinicio da caminhada.

 

É como uma nova luz, um movimento desdobrado, tal qual o sopro da brisa nos dias quentes, o borrifo das marés que aportam nas praias gorjeadas pela canção dos pássaros e o gosto de sereno nas noites calmas.

 

É como se viajássemos com os pés no chão, o coração nas estrelas e, de luz tecida a alma entusiasmada reflorescesse outra vez.

É neste renovar constante que se embala e se afaga nossos sonhos e a vida se firma e dá brilho a nossa, sempre e nova caminhada.

 

Feliz 2018 a todos, e que esta viagem que se reinicia venha revestida de momentos inesquecíveis e muitas felicidades.

 

Boa Sorte!


Coluna escrita quinzenalmente (Sábados).


Publicado por Diário Recôndito e Poesia em 13/01/2018 às 00h00
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
12/01/2018 00h00
VIAJANDO NA POESIA – Aos amigos

 


Por Valmir Vilmar de Sousa - vevesousa1958@gmail.com


 

AOS AMIGOS

 

Aos amigos agradeço a companhia

A oportunidade de estarmos juntos

Pois é edificante

Termos amigos

Para compartilhar

Nossos momentos de prazer

De solidariedade

De fraternidade

Amigos de ontem

Amigos de hoje

Amigos de amanhã

Bênçãos recebidas

Traduzidas em amor

Amor fraternal

Amor filial

Ter amor é fundamental

Primordial

Sensacional

É natural

É real

É fenomenal

Ter amigos


Coluna escrita as Sextas-Feiras.


Publicado por Diário Recôndito e Poesia em 12/01/2018 às 00h00
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
10/01/2018 00h00
CARTAS NO TEMPO: O segredo das águas e das sereias


E-mail: oliveirapoeta.oliveira@gmail.com


 

O que se compreende por...?

Não sei o que se compreende por águas, nem por musas, mais a relação com a inspiração é o encantamento dos vastos momentos em devaneios. Hoje a chuva cai e não cessar para observar o sol surgindo, contudo, não dá para um poeta desprezar as águas a encharcar o espírito de tal forma, a deixar sua mente a vagar por tanta imaginação ou pode até ser verdadeira as palavras a serem descritas durante o processo de viajem poética. O fato é que mitologicamente, vemos a importância das musas gregas. O mistério das águas me leva a viver a experiência da possibilidade de ver e ouvir o canto e a beleza das SEREIAS. Já não posso mencionar o nome da dona das caldas ternas. Afinal, o poema é que vai instruir nossas criatividades a de alguma forma, dá sentido aos versos que escrevi...

 

 

O mistério das águas

O tempo não chega audacioso,

E suas águas descem na pureza

De uma noiva em núpcias.

É o céu que desceu suas escadas

Para fazer o amor acalmar a humanidade.

Banho-me de contemplação!

Enquanto estende minhas mãos

A fim de tocar na fonte de minha inspiração.

Percebo a necessidade de se purificar

Na poesia da musa das cristalinas almas.

Almas tem musa? Almas são cristalinas?

Posso sentir meu cerne se engraçando

Por uma linda donzela existente

No mundo-poético, e confesso que,

Sim, a essência da ânima são oceanos,

Mares, lagos, rios e cacheiras dentro de si.

Em minha loucura literária,

Vejo-me tentando imaginar

Meus pés dando passos largos

Ao tão sublime do que é SAGRADO.

Pego-me pensando na beleza

De ser conduzido pelas águas

A subir a escadaria dourada

E templário dos jardins do Templo.

Quando me pergunto: Quem és, oh doce mulher?

Ouço de seus lábios um canto lírico,

E suas pernas a darem lugar a barbatanas.

Seus cabelos loiros vêm a se confundirem

Com o próprio sol a iluminar os dias.

Ela mergulha e me oferece de beber.

Esqueço de mim mesmo,

Retorno para não me prender

Na musicalidade de suas nadadeiras,

Nem deixar com que meu coração

Venha a mencionar seu nome.

 

Leitores e Leitoras da minha alma! Que esta poesia possa os levar a arte de poetizar.


Coluna escrita nas Terças e Quartas-Feiras.


Publicado por Diário Recôndito e Poesia em 10/01/2018 às 00h00
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
09/01/2018 00h00
CARTA NO TEMPO: Tarde de Silêncio

 


Por Ricardo Oliveira - oliveirapoeta.oliveira@gmail.com


 

A tarde do silêncio

Numa tarde de silêncio, o vento vem tocar meu rosto, e a poesia me invadiu por inteiro como se ela quisesse me dizer algo. Sua voz era tão bela, que não dava vontade de sair do lugar em que os minutos pareceram horas e sem ter compromisso nenhum de partir. Bastava somente fechar os olhos para sentir a imagem de teu sorriso e a melodia da harpa. Como posso viver sem ter esperança em um dia poder transformar-te, oh doce poema! Em uma alma vivente? E será que não és em meu interior? Estabeleço a relação espiritualizada com os elementos que não posso ver no vento, e é neste instante o inicio da nossa bela forma de se amar.

 

Amando a poesia numa tarde

Amo-te poesia de minha vida!

Que no silêncio de uma tarde fostes

Para mim um sinal de luz e uma

Razão para ter alegrias em minutos.

Teus versos incorporam de tal forma,

Que o vento a soprar em meu rosto

Faz de tua essência as vésperas

De uma noite em que vens em meu leito.

Como uma incontrolável mistura de palavras

Com a musicalidade dos sonhos em que nos

Traz o tempo como sendo infinito.

Quando termina o momento,

Penso em como te tocar

Ou em como poderia te escrever

Em linhas poéticas chamadas de versos.

E não encontrei nada além do que uma voz longe...

Um vago respirar de mim mesmo em um deserto.

Porém, confesso que minhas inspirações

Tiveram seu rumo as sete e cinquenta

De uma noite bela e eterna para nós dois.

Quem és tu afinal, linda menina?

Já não importa mais a resposta,

Pois meus questionamentos

São uns simples detalhes de quem

Anseia em estar sempre conectado

Ao seu mundo e ao corpo,

Embora não tivesse corpo,

Contudo, a certeza é que tens elementos tão meus,

Que sou incapaz de ter ousadia de tentar descrever.

O ar é um som minucioso e contemplativo!

Isso para dizer o quanto ele nos permeia,

Sendo a nossa própria alma enlouquecida.

 

Caros leitores e leitoras! Que tenhamos um ótimo 2018!


Coluna escrita nas Terças e Quartas.


Publicado por Diário Recôndito e Poesia em 09/01/2018 às 00h00
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 7 de 10 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 [«anterior] [próxima»]