CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Diàrio Recôndito e Poesia
O Jornal das Palavras - Fundado em 10/10/2017.
Textos

Cristo E A Minha Dor - Por Ricardo Oliveira
O véu me cobre minha face,
Que banhada de sangue se encontra.
Oh Cristo que eu te adoro
Em versos tão imperfeitos.
Minha alma não tem rimas,
Pois hoje se afunda em sombra e medo.
Tu foste na Cruz golpeado,
E na carne dilacerado,
Com uma lança a perfurar teu lado.
Nisto vejo teu sangue e a água
Lavar-me minha existência
Enquanto caminho para a noite
Que não espera a me devorar
O sangue precioso é o Pentecostes
A descer sobre minha vida,
O Batismo me sobre com esta água
A sair do teu corpo divino.
Em teu mistério me curvo
A Eucaristia do sacrifício!
Na miséria do meu triste pensamento...
Irei orar para não cair
Em profundo esquecimento.
Esquecimento de ti,
Pois sois o meu Salvador.
Que da morte as levantou
Para me amar como sou.
Há sempre momento, Senhor
Cuja a tumba para mim fica aberta,
E nela, se der um passo,
Deito-me com versos de dor.
Mesmo com tudo isso,
Tuas mãos me socorre.
Meu Cristo Menino,
Que de Palavras me envolve.

23/12/2017.

Ainda não publicada.
Diário Recôndito e Poesia
Enviado por Diário Recôndito e Poesia em 24/12/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários